Cartilha orienta sobre sintomas pediátricos da Covid-19

As crianças não estão imunes ao novo coronavírus. Elas também podem contrair a doença e o quadro sintomático desenvolvido por elas, quando infectadas, pode ser diferente daquele de um adulto. Pensando nisso, professores e alunos elaboraram uma cartilha tratando dos sintomas pediátricos da Covid-19.

O material foi produzido pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), por meio do Departamento de Fisioterapia (DFST). O objetivo é ajudar a identificar sinais e sintomas que podem indicar a necessidade de cuidados médicos para auxiliar no tratamento da Covid-19.

Embora a criançada não faça parte do grupo de risco, ela também pode ser infectada e desenvolver a doença de forma grave. A atenção deve ser maior quando se tratar de menores de cinco anos, de crianças com baixa imunidade, recém-nascidos ou de lactentes menores de três meses.

Na faixa etária infantil, a gripe normalmente é caracterizada por febre menor que 37,5 graus, tosse ou dor de garganta (que também podem vir associadas), corrimento e entupimento nasal. Mas esses mesmos sintomas também podem ocorrer quando a criança contraiu o novo coronavírus. De toda forma, sendo sintomas de uma síndrome gripal ou da Covid-19, o tratamento é feito em casa. Nesses casos se recomenda o repouso, a hidratação, a alimentação balanceada e isolamento.

Agora, se além desse quadro sintomático a criança apresenta sinais ou sintomas de gravidade, então é necessário procurar tratamento médico. Por isso, é preciso estar atento ao que pode indicar um agravamento da Covid-19. É para auxiliar nessa tarefa que a cartilha apresenta uma lista desses sinais e sintomas de gravidade de forma clara e didática.

Fonte: Agecom/UFRN.