Fundações de apoio criam fundos e já mobilizam R$ 115 milhões no combate à Covid-19 em hospitais universitários

Desde a notificação da pandemia Covid-19, mais de 10 fundações de apoio de universidades e institutos federais criaram campanhas e fundos emergenciais para arrecadação de recursos – em colaboração com acadêmicos, pesquisadores e órgãos de controle –, e já mobilizam  R$ 115 milhões para os hospitais universitários no combate à pandemia –, segundo levantamento inédito do Conselho Nacional das Fundações de Apoio às Instituições de Ensino Superior e de Pesquisa Científica e Tecnológica (CONFIES) que possui 96 instituições filiadas apoiando mais de 130 instituições entre universidades e institutos federais.

Os valores arrecadados destinam-se principalmente à compra ou fabricação de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) para uso de profissionais de saúde nos hospitais universitários e outros órgãos públicos de saúde. Mais de 30 empresas e entidades já contribuíram com essas iniciativas, entre elas a Burger King Brasil, Embraer e Itaú. As ações durarão até o fim da pandemia.

Até agora, 16 fundações participam dessas iniciativas (a maioria atua na arrecadação e gestão dos recursos e execução dos projetos) em acordo com 17 instituições (universidades e institutos) de todas as regiões do País. Do total arrecadado, até agora, cerca de R$ 30 milhões são provenientes de ações judiciais movidas a empresas, em acordos com órgãos de controle que fiscalizam as fundações.

São várias iniciativas em andamento organizadas de acordo com as necessidades regionais. A maioria acontece nas regiões Sul e Sudeste, onde há concentração de diagnósticos da doença.

O presidente do CONFIES, Fernando Peregrino considera as iniciativas das fundações uma valiosa estratégia para o fortalecimento da capacidade de ação contra a Covid-19 com base na ciência, tecnologia e inovação.

Também diretor da Fundação Coppetec, vinculada à Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Peregrino avalia que, além de prestar socorro emergencial para o atual momento de pandemia, essas doações recebidas deixarão um legado significativo a toda a sociedade brasileira. “Essas medidas solidárias poderão fortalecer os fundos patrimoniais, garantindo fontes estáveis de recursos para os hospitais universitários e todo o sistema de ciência e tecnologia do País, no pós-pandemia”, disse.

Fonte: Confies.